quarta-feira, 30 de maio de 2012

MEU FILHO FAUSTO - POR EDUARDO ANTONIO GOSSON.

FAUSTO GOSSON DESCANSA NA PAZ DE DEUS!


11.11.1983 - 26.05.2012

Meu filho Fausto
Porque em vida
Foste puro, justo e bom
Deus, na hora extrema,
Resgatou-te das trevas

Sim, meu filho
Quero dormir eternamente
Junto de ti
Porque agora dormes
com Deus.

Eduardo Gosson

“Aquele que é limpo de
mãos e puro de coração,
que não entrega a sua alma à
vaidade, nem jura enganosamente”
Este receberá a benção do Senhor e a
justiça do Deus da sua salvação”
(Sl 24: 4-5)


Missa de Sétimo Dia
Convento Santo Antônio
Hora:18:30h
Data: 01.06.2012 (Sexta-feira)

EDUARDO GOSSON CONVIDA PARA A MISSA DE SÉTIMO DIA DO SEU FILHO FAUSTO.

CONVITE ESPECIAL

“Por onde passares fale/a palavra apascenta”

EDUARDO GOSSON convida Vossa Senhoria e família para a Missa de Sétimo Dia do seu filho FAUSTO GOSSON que, agora, habita entre o azul e o infinito.

Espera contar com a presença de todos porque, no atual momento, é a única forma de aliviar a sua DOR.

Data: 01.06.2012 (sexta-feira)
Hora: 18h30
Local: Convento Santo Antônio, no centro da cidade

terça-feira, 29 de maio de 2012

MISSA DE SÉTIMO DIA POR FAUSTO GOSSON, 01-06-2012, ÀS 18 H. NO CONVENTO SANTO ANTÔNIO.

FAUSTO GOSSON

FAUSTO
Para meu lho, morto pelas drogas

Meu lho Fausto
Porque em vida
Foste puro, justo e bom
Deus, na hora extrema,
Resgatou-te das trevas

Sim, meu lho
Quero dormir eternamente
Junto de ti
Porque agora dormes
com Deus.
Eduardo Gosson

“Aquele que é limpo de
mãos e puro de coração,
que não entrega a sua alma à
vaidade, nem jura enganosamente”
Este receberá a benção do Senhor e a
justiça do Deus da sua salvação”

(Sl 24: 4-5)
11.11.1983 26.05.2012

Missa de Sétimo Dia
Convento Santo Antônio
Hora:18:30h
Data: 01.06.2012 (Sexta-feira)

CANÇÃO DE NINAR FAUSTO GOSSON - LÚCIA HELENA PEREIRA



CANÇÃO DE NINAR FAUSTO GOSSON
Lúcia Helena Pereira

No salão as pessoas se amontoam
Um pai canta estribilhos da canção de Assis
E o seu olhar firma-se no derradeiro momento
Antes de ver seu filho dormir para sempre.

Vai, vai filho meu,
Tua pátria é mais além,
Naquele céu de algodão doce,
Onde anjos te esperam e cantam.

Mas o olhar do pai percorre ávido e triste,
O rosto do seu filho através do pequeno vidro
Que o separa de todos e de tudo
Dormindo para acordar no céu!

Vai, vai filho meu,
Tua pátria é em Deus,
Teus lírios florescerão num céu de luz
Entre anjos docemente entoando hinos!

O olhar do pai já não arde
Mas dói nas dores do seu filho morto
Por um vício sem remédio,
Por uma dor que ele não conseguiu poupar.

Vai, vai meu filho querido
Segue a tua estrela riscada de ouro
E dorme, enfim, o teu sono infinito
Enquanto o meu olhar te guiará.

Um olhar que fez-se angústia em sete dias,
Rodopiando pelo hospital enquanto as horas iam
Para ver o filho, numa UTI, sem sussurros, sem quase vida,
Enquanto um pai amoroso pedia um milagre que não se fez!

Vai, vai filho do céu,
Teu Pai eterno o receberá
Num afã de amor e ansiedade,
Para, enfim, dar- te o beijo paternal.

Um olhar de pai fica na terra
A recordar os passos do menino, do adolescente e do homem
Tragado pela desgraça de um vício
Que não entendemos e deixa sobrar perguntas!

Vai, vai meu filhinho querido
Há um cantinho bom só para ti.
Junto de Nossa Senhora que te abençoará,
E Jesus que te alumiará os passos.

E fica em mim um olhar de esperança
Para ver um mundo novo, sem drogas, dores,
Sem tantas desgraças e padecimento...
Oh! Filho meu...foste embora, dormiste, enfim!

segunda-feira, 28 de maio de 2012

"ALGUMA PRATA DA CASA" - MANOEL ONOFRE JUNIOR.

"ALGUMA PRATA DA CASA"
MANOEL ONOFRE JÚNIOR

C O N V I T E

Eduardo Gosson, presidente da União Brasileira de Escritores - UBE/RN -, convida Vossa Senhoria e família para o lançamento do livro: "ALGUMA PRATA DA CASA", do confrade Manoel Onofre Júnior, Vol.I, da Coleção Bartolomeu Correia de Melo, selo editorial Nave da Palavra.

Local: Academia Norte-Rio-Grandense de Letras - ANL
Rua Mipibu, 443 - Petrópolis
Data: 31 de maio de 2012 (quinta-feira)
Hora: 18h

CIRCO DOS HORRORES - AUTORIA DE SILVIO CALDAS..


CIRCO DOS HORRORES
Sílvio Caldas (jsc-2@uol.com.br)



Não simpatizo (mesmo) com o ministro Gilmar Mendes. Desamor á primeira vista. Mas o que ele acaba de declarar na mídia é muito sério. A proposta que o ex presidente Lula lhe fez, se verdadeira, é mais um escândalo contemporâneo. Recheado de uma tentativa de chantagem, segundo ele Gilmar, de logo repelida, em relação ao encontro que manteve em Berlim com o ex-arauto da moralidade brasileira, Demóstenes Torres.

Creio que caberia a Lula, no mínimo, desmentir as declarações do ministro. Simplesmente não comentar cai no chavão antigo do "quem cala, consente".

Será que o ministro é tão maluco a fim de fazer uma denúncia graciosa como a que está estampada na Veja desta semana?

E será quie Lula ainda não sabe de nada?

O cerne da questão levantada é: o ministro providencia o adiamento do Mensalão e em compensação Lula não denuncia o encontro que ele manteve em Berlim com o ainda senador Demóstenes Torres.

Bem, à primeira vista, a presidenta Dilma não tem nada a ver com isso. Graças a Deus e ainda bem.

Sei não, mas acho que ainda vai rolar muita lama por baixo da ponte.

sábado, 26 de maio de 2012

AMIGOS, ESCRITORES E ADMIRADORES SE SOLIDARIZAM COM EDUARDO GOSSON.


"QUERO DORMIR ETERNAMENTE”
Fausto Gosson - 21-05-2012

Deus, eu “Quero dormir eternamente!”

Foram estas suas últimas palavras.

E Deus tirou-lhe do seu corpo as travas

Que prendiam sua alma, a sua mente.

E voou leve, livre e docemente,

Deixando para trás o sofrimento

A angústia, a dor, o desalento,

Que, na Terra, o prendeu durante a vida

Terrena. E o BOM PAI lhe deu guarida

Nos Seus Braços de Amor, no Firmamento.

Eduardo Gosson
***********************************************
NOTA: O VELÓRIO ACONTECE, DESDE ÀS 20 HORAS, NO CENTRO DE VELÓRIO DA RUA SÃO JOSÉ, EM LAGOA SECA.
A MISSA DE CORPO PRESENTE SERÁ REALIZADA ÀS 9 HORAS E O SEPULTAMENTO, NO CEMITÉRIO DO ALECRIM, ÀS 10 HORAS.
*******************************************************************************
É com profundo pesar que recebemos a notícia do falecimento de Fausto Gosson, filho do nosso amigo Eduardo Gosson, ao qual nos solidarizamos e com todos os parentes, amigos e confrades e, também, nossa querida Lúcia Helena Pereira e Geralda Efigênia, sensibilizadas, prestando relevante apoio, no sentido de informar e se juntarem à dor dos familiares.

Belo Horizonte, 26 de maio de 2012.

Antônio Carlos Dayrell

**************************************************************

*********************************************************************

Caro amigo, lamento muito. Receba o meu abraço e sentimentos profundos de pesar. Irei ao velório. Difícil dizer alguma coisa numa hora dessas.

Abraço forte,

Cláudia Santa Rosa

******************************************************************

Amigo,

Estava aqui, mesmo de longe, acompanhando a luta pelo restabelecimento de Fausto. Lamento o desfecho e mais uma vez, registro minha admiração por você, por sua sinceridade e coragem.

Receba meu abraço com o calor do sol mossoroense,
extensivo a toda sua família


Cid

*************************************************************

Eduardo

Há muitos dias não acesso meu e-mail e apenas hoje retorno. Soube da notícia apenas agora e já li no site da UBE que trata-se de uma morte cerebral. Meu amigo, só posso desejar-te muita força e muito conforto agora, o que vou pedir a Deus para fazer por você e por toda sua família. Que nosso pai possa dar ainda a sobriedade necessária para encarar este momento tão difícil com muita sabedoria.
Sou doadora de sangue e meu tipo sanguíneo é o A+. Acaso Fausto ainda esteja necessitando de doação, por favor solicite-me na resposta deste e-mail.Fique com Deus e muita, muita força...


Denise
(25.05.2012)

*********************************************************************

Sinta meu abraço. O seu texto é um poema-oração. Fruto de um sentimento extremamente humano, nos põe numa dimensão muito próxima de Deus. É estreitíssimo o caminho de se chegar até Ele. Mas Fausto, ao seu modo, já o percorreu.

Serei sempre sua amiga.

Águida Mousinho Zerôncio, 26.05.12

*************************************************************

Amigo Eduardo,


osso abraço solidário e o desejo que Deus lhe dê a força necessária.

Abraços,

Ivan Júnior e Yasmine Lemos

******************************************************************************

Eduardo:

Meus sentimentos pela perda de seu filho. Há catorze dias perdi meu pai, e ainda estou sentindo fortemente o processo de separação. Mas perder um filho creio ser bem diferente, pela ordem natural da vida, que já conhecemos, os mais velhos partirem primeiro. O consolo é a oração, absolutamente necessária para o acolhimento na outra vida, para que os espíritos do bem escutem e atendam aos que amam, em uma corrente de energia em favor do bem. Acredito nisso, pois embora não praticante é a doutrina espírita que faz sentido no meu modo de perceber a vida. Espero que também creia na imortalidade da alma e ore por seu filho, acreditando que o amor de pai para filho continuará sendo lenitivo, sempre. Mais uma vez, meus pêsames. Anchella

*******************************************************************************

EDUARDO, TENHO ACOMPANHADO O SEU DRAMA POR INTERMÉDIO DOS E-MAILS E NESTA HORA DOLOROSA DESEJO-LHE FORÇA E FÉ EM DEUS E NA CIÊNCIA.
SEI QUE O QUADRO DO SEU FILHO É GRAVE, MAS VOCÊ NÃO PODE PERDER AS ESPERANÇAS. TEM QUE ACREDITAR NA CIÊNCIA ATÉ ENQUANTO FOR POSSÍVEL.
CERTAMENTE O SEU FILHO ESTÁ ENTREGUE A EXCELENTES PROFISSIONAIS MÉDICOS QUE FARÃO O POSSÍVEL PARA POUPAR A VIDA DELE.
AMIGO, TENHA UM DIA TRANQUILO E REPLETO DE BENÇÃOS.
PRECISANDO, PODE CONTAR COMIGO.
FORTE ABRAÇO.

PAULO JORGE DUMARESK

******************************************************************

Estou solidária, Eduardo. Só não posso doar sangue, pois estou com muita gripe.Tenho fator RH A Negativo
Abraço fraterno, Nivaldete Ferreira

***********************************************************************

Amigo Eduardo, acompanhei com muita solidariedade o seu calvário. Que Deus, na sua infinita sabedoria acolha seu querido filho e sua glória e dê a você o consolo que tanto merece. Infelizmente, por motivo de saúde, não poderei comparecer pessoalmente ao funeral.
Um abraço sincero pela lamentável perda.

Sílvio Saldas

***********************************************************************

Eduardo meu amigo:

Não sei quando você lerá este email, mas quero que saiba que ele é veículo da minha tristeza e da minha solidariedade pela perda que você sofreu. Que Deus dê a seu filho a paz que ele não pôde encontrar em vida. E que você possa se recuperar para tocar a vida e a UBE-RN.
Forte abraço,

Tarcisio Gurgel
***********************************************************************

Prezado amigo Eduardo Gosson:
Imagino a tua dor de pai. Que Deus conforte o teu coração. Que teu filho encontre o repouso eterno que não conseguiu aqui na Terra. Que sua alma descanse em Paz. Força, amigo. Estamos solidários na tua dor.
Um abraço sentido, José de Castro.

**********************************************************************

"Que Deus, na sua infinita bondade e graça, receba na sua morada a alma de Fausto Gosson. Ao amigo escritor Eduardo Gosson venho irmanado na sua dor de pai, prestar a minha solidariedade e força para vencer esses momentos de dor. Meus sinceros pêsames com todos os meus sentimentos voltados para Deus, para que acolha seu filho na divina morada celestial."

Ivam Pinheiro

NOTA DE FALECIMENTO JÁ CONSTATADA COM LAUDO MÉDICO, DE FAUSTO GOSSON, ÁS 9 HORAS DESTE 26-05-2012.


NOTA DE FALECIMENTO DE FAUSTO GOSSON
(1983-2012 )


Com profunda tristeza, comunico o falecimento do meu filho - FAUSTO GOSSON - ocorrido hoje, 26-05-2012, na UTI do hospital PAPI, onde estava internado desde segunda-feira, dia 21 de maio, vítima de uma overdose.
O velório será no Centro de Velório da Rua São José, próximo ao Corpo de Bombeiros, em Lagoa Seca.
O sepultamento transcorrerá amanhã, dia 27, às 10h, no Cemitério do Alecrim.
O corpo do meu filho será liberado por volta das 13/14 horas desta tarde de sábado.
Agradeço a quantos comparecerem a este ato de fé e caridade cristã e peço desculpas pelos atropelos das notas anteriores, alheias à minha vontade, porém movidas pelo estresse e sofrimento.

Abaixo transcrevo as últimas palavras do meu filho.

Natal/RN, 25 de maio de 2012

EDUARDO GOSSON


PALAVRAS DO MEU FILHO FAUSTO:

“QUERO DORMIR ETERNAMENTE” (*)

Para meu filho Fausto, morto pelas drogas
“Aquele que é limpo de mãos e puro de coração,
Que não entrega a sua alma à vaidade, nem
Jura enganosamente”.
Este receberá a benção do Senhor e a justiça
Do Deus da sua salvação” (Sl 24: 4-5)

Meu filho Fausto
Porque em vida
Foste puro, justo e bom
Deus, na hora extrema,
Resgatou-te das trevas
Sim, meu filho
Quero dormir eternamente
Junto de ti
Porque agora dormes
com Deus.

(*) Estas foram as últimas palavras pronunciadas por meu filho Fausto, antes de ir para a UTI, segunda-feira, 21.05.2012.

Eduardo Gosson

sexta-feira, 25 de maio de 2012

EDUARDO GOSSON COMUNICA QUE O FILHO ENCONTRA-SE COM MORTE CEREBRAL NA UTI DO PAPI, EM ESTADO GRAVÍSSIMO.

EDUARDO GOSSON
NOTA DE ESCLARECIMENTO E AGRADECIMENTO

A PRIORI, TIVE UMA NOTÍCIA DE MORTE CEREBRAL DO MEU FILHO FAUSTO GOSSON E NO MOMENTO, NÃO TIVE CLARIVIDÊNCIA JULGANDO TRATAR-SE DA MORTE DELE EM SI, DIVULGANDO-A IMEDIATAMENTE.
PEÇO DESCULPAS AOS PARENTES E AMIGOS PELA NOTA ERRÔNEA QUE DIVULGUEI, AO MESMO TEMPO, AGRADEÇO A GENEROSA SOLIDARIEDADE ATRAVÉS DE TELEFONEMAS E EMAILS AO LONGO DE TODA ESTA SEMANA, BEM COMO A DOAÇÃO DE SANGUE DAQUELES QUE SE DISPUSERAM SAIR DE SUAS CASAS OU TRABALHOS, PARA AJUDAREM A SALVAR UMA VIDA.

DEUS GUARDE MEU FILHO E QUE O SOFRIMENTO QUE ORA VIVE, SEJA TRANSFORMADO EM MUITA PAZ.

ATENCIOSAMENTE,

EDUARDO GOSSON

COMUNICADO IV - EDUARDO ANTONIO GOSSON - PRESIDENTE DA UBE/RN.

EDUARDO ANTONIO GOSSON

COMUNICADO IV (25.05.2012)
“Por onde passares/fale/A Palavra apascenta”
Gilberto Avelino

Prezado (as) Amigos:

Desde já agradecer aos amigos (e até desconhecidos) que nos tem enviado PALAVRAS DE CARINHO neste momento tão difícil. Procuro sempre RESPONDER. Às vezes sou vencido pelo cansaço e posso ter esquecido alguém. A todos o meu agradecimento.
Ontem à tarde houve uma pequena evolução no quadro de saúde de FAUSTO GOSSON: conseguiu responder à hemodiálise, a pressão estabilizou-se e os batimentos cardíacos chegaram ao normal. Entretanto, a estrada é longa: falta cuidar do fígado e de outros órgãos que estão danificados. Os médicos estão cuidando de uma coisa de cada vez. Por último, a cabeça onde tem havido sangramento. Não se pode, por enquanto, fazer uma tomografia porque o paciente não aguenta fazer deslocamentos. Corre o risco de morte!
Por último, apelo no sentido de quem puder me ajudar na doação de sangue: é só dirigir-se ao HEMOVIDA, quase em frente do hospital Onofre Lopes, e fazer a doação em nome Fausto Napoleão de Melo Gosson. Os horários de visita no PAPI para a UTI são: Manhã (11h30) e Vespertino (16h30) podendo entrar até três pessoas.
Sempre estou por lá.
Um grande abraço e um afeto que não se encerram!

Eduardo Gosson

quinta-feira, 24 de maio de 2012

CAROS CONFRADES, CONFREIRAS E AMIGOS, AJUDEM-ME A AJUDAR A SALVAR MEU FILHO.



COMUNICADO - III (24.05.20120)

"Dói-me viver como uma posição incômoda
Deve haver ilhas lá para o sul das cousas
onde sofrer seja uma coisa mais suave" (Fernando Pessoa)

O estado de saúde de Fausto Gosson continua gravíssimo segundo
boletim médico, tendo sofrido duas paradas cardio-respiratórias esta madrugada
Durante todo o dia de ontem fez hemodiálise para restabelecimento das funções renais. Já consumiu nestes três dias 34 bolsas de sangue. Neste sentido, faço um apelo para quem estiver em bom estado de saúde para doação de sangue, no banco de sangue (qualquer tipo sanguíneo) do Hemovida, quase em frente ao hospital Onofre Lopes, em Petrópolis
.É só dirigir-se até lá e dizer o seu nome para quem dese seguir o sangue: Fausto Gosson.

Cordialmente,
Eduardo Gosson

quarta-feira, 23 de maio de 2012

QUERO O SEU OLHAR DE SOL - LÚCIA HELENA PEREIRA.

LÚCIA HELENA PEREIRA

QUERO O SEU OLHAR DE SOL
Lúcia Helena Pereira


Sim, quero o seu olhar de sol,
Sem a venda intrusa que a poeira cobre e ofusca.
O Seu olhar é mirante de alegrias
Alegoria festiva, convidada para os carnavais.

Vejo uma dança branca em seu olhar de mel
Requebrando-se numa esquina azul,
Onde uma íris enfeitada de doçura,
Ensaia passos ao redor do palco âmbar.

Quero o seu olhar em irradiante luz,
Em terceira dimensão, com visões rosadas
De lírios se abrindo, num muro cor de primavera
Flambada de sol.

Vejo a retina do seu olhar vestida de cristais
Porque tudo nele é luz, claridade,
É potencial de distância alcançada
No seu doce e puro olhar de amor.

Quero o rio brilhando em seu olhar
Apontando faróis incandescentes
E contemplando o dia e a noite,
Com uma clareza certamente pródiga.

E beijo o calor que emana do seu olhar
Nele, um bafo de anjo já suspira
Anunciando o novo dia,
A nova luz do véu estelar do seu olhar.

Quero o seu olhar completamente enfeitado
Onde namoram paisagens e flores se acasalam
Junto aos pássaros do amanhecer,
Em muita luz, brilho e um verde exuberante.

Porque o seu olhar vem da canção diurna,
Embora mudo, seu olhar canta a pulsação
Da melodia em notas magistrais,
Dó, ré, fá, sol, lá, si...

Quero o seu olhar derramando vestígios
Espalhando a dança dos pirilampos
Num chão de folhas frescas e perfumadas,
Onde o sol desmaia sobre tênues fios.

Esse seu olhar de bicho na escuridão das matas
Divisando mistérios, acendendo clareiras,
Olhar de fogo, ardor, olhar de brisa e amanhecer
Um olhar ocre, cheio de milagres.

Quero o seu olhar abrindo as cortinas
Do grande palco da vida.
Quero-o com novo figurino, bons atores,
Quero um filtro delicado para o licor do seu olhar.
EU QUERO!

terça-feira, 22 de maio de 2012

SALADA DE FRUTAS - AUTORIA DE SILVIO CALDAS.

SALADA DE FRUTAS

SALADA DE FRUTAS
Autor: Sílvio Caldas


A CPI da cachoeira lembra uma salada de frutas.

Dizem que Lula, o ex, foi quem mexeu com os pauzinhos para
a realização dela. Ao mesmo tempo, seu ex-ministro da Justiça, o
grande Tomaz Bastos, foi contratado para defender o famoso bicheiro.

O bicheiro, bem ou mal orientado pelo ex da Justiça fechou
o bico, a ponto de irritar a já irritada por vida Kátia Abreu.

Que o doutor Tomaz Bastos é um advogado competente,
ninguém tem dúvida. Não sei em relação à ética. Contudo, não é ele
quem está em julgamento.

Que o Cachoeira é um cínico, ninguém duvida. Afinal, é um
dos pré-requisitos de todos marginais que se locupletam com o que é do
alheio.

Enfim, dizem que a CPI não vingará, porque que Lula deu um
tiro no pé. Aí, tudo virou uma salada de frutas. Muitas frutas.


jsc-2@uol.com.br

APESAR DE TUDO DEU PARA SER FELIZ - VALÉRIO MESQUITA - TRIBUNA DO NORTE.

ESCRITOR VALÉRIO MESQUITA

APESAR DE TUDO DEU PARA SER FELIZ
Valério Mesquita - Escritor

Semana passada fui me reencontrar com os meus pais em Macaíba. Não, apenas, no velho cemitério de São Miguel na praça da Saudade. Mas, principalmente, na residência antiga da rua Francisco da Cruz, 39, hoje, Casa da Cultura "Nair de Andrade Mesquita". Visitei-a com os meus filhos. Naquela manhã, constatei que o passado não morre. Ele persiste em cada ambiente, em pessoas que revi e ruas que cruzei. Os seus netos Não o conheceram em vida. Enquanto visitavam os compartimentos, quedei-me em reflexões sobre a vida pública, percebi que guerreiros são pessoas tão fortes, quanto frágeis. Com toda carga política do seu tempo sobre os ombros, no fundo do peito era um menino nos momentos de remanso e de descanso. O sonho perfeito que sonhou para Macaíba consubstanciou-se, certa vez, no amor que dedicou a uma ave presenteada por amigo e que passou a criá-la ali no jardim.

Era uma asa branca que obedecia a sua voz. Inexprimível emoção sentia ao chamá-la, sentado na sala de visita para lhe oferecer alpiste. Longe se ser um fato superficial, aquilo se revestia na busca do silêncio e da serenidade. Nada além do que desejava sentir e sofrer. O pequeno animal lhe arrancava uma luz especial que refletia sobre o homem político que enfrentava lá fora o imensurável e o irracional. Alimentá-la e acariciá-la significavam a gratuidade e a correspondência confortadora de gestos que não achava, algumas vezes, no trato político com os humanos.

Num tarde que caía devagar, voltava de sua granja nos arredores de Macaíba. A pé, cigarro a boca (que tanto lhe fez mal), deparou-se no jardim com a tragédia devastadora e o rigor do susto: a asa branca despedaçada, jazia no pedestal da estátua Minerva. Um gato cruel e sorrateiro fora o protagonista do "avicídio". Essa dor, despontou como uma ferida desaguando no sofrimento que definiu nele - contraditoriamente - a beleza do seu sentimento.

Deduzi naquela manhã de novembro, que um guerreiro também chora. De outra feita, na última batalha que travou, enfrentando o poder e a riqueza dos adversários, mas, sem dinheiro e sem bens para custear a campanha, foi visto chorando no quintal da casa de um compadre gravemente enfermo. Alfredo Mesquita havia constatado que não dispunha de recursos para salvá-lo. Manoel Dantas de Medeiros e Pedro Luiz de Araújo (ainda vivos), testemunharam aquele momento insuportável de aflição e indigência. Quero afirmar que a tristeza da vida pública de qualquer um não termina com a morte ou com o pretenso fracasso eleitoral. A síntese da vida que prevalece é a dimensão do amor à terra e as imagens nítidas que não se esgotam, tanto nos relatos das vozes que ecoam, como nos olhos úmidos das revelações repentinas. Dele nos sobrou o exemplo. O empobrecimento paulatino de sabê-lo livre e isento. modelo que muitos não conseguiram no universo político de escolhas: a capacidade de ser honesto.

Por isso, sobre ele, ouso afirmar, que apesar de tudo, doou-se para ser feliz. A firmeza do seu temperamento e das atitudes assumidas, muitas vezes, ocasionaram-lhe danos e perdas políticas e patrimoniais. Viveu mais na oposição do que na situação. Em 1950, para o governo do estado ficou com Manoel Varela que perdeu para Dix-Sept; em 1955 apoiou Jocelin Vilar derrotado por Dinarte Mariz; em 1960 acompanhou Djalma Marinho vencido por Aluísio; e em 1965, permaneceu com Dinarte suplantado por Walfredo Gurgel. São raríssimos no Rio Grande do Norte os políticos que tiveram a coragem imutável de sobreviver a tantas adversidades políticas. O sofrimento, sangrava mas não se curvava ao governo. O sonho mais que perfeito foi Macaíba. Nasceu, viveu e está sepultado lá, ao lado de sua companheira de toda a vida Nair de Andrade Mesquita, no túmulo dos seus pais, com os irmãos Paulo Mesquita e Amélia Násia Mesquita Meira, além do filho Carlos Mesquita. "Tudo vale a pena quando a alma não é pequena". A frase de Fernando Pessoa imprime não a lápide fria no campo dos mortos mas a memória viva da história política de Macaíba construída com grandeza de caráter.

Fonte: Tribuna do Norte, 22-05-2012

segunda-feira, 21 de maio de 2012

3ª CARTA ABERTA A EXCELENTÍSSIMA SENHORA GOVERNADORA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE, ROSALBA CIARLINE - AUTORIA DE EDUARDO GOSSON.

DR. EDUARDO ANTONIO GOSSON

3ª CARTA ABERTA A EXCELENTÍSSIMA SENHORA GOVERNADORA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE, ROSALBA CIARLINE


EDUARDO ANTONIO GOSSON, brasileiro, casado, residente e domiciliado à Rua Jacarandá, 225, aptº 601 ,em Nova Parnamirim/RN, RG 364.741-SSP-RN, na condição de presidente da União Brasileira de Escritores - UBE/RN e de cidadão, vem à presença de Vossa Excelência expor os FATOS a seguir relacionados e ao final SOLICITAR

DOS FATOS:

1. CULTURA

1.1. A UBE/RN fundada em 14 de agosto de 1959, portanto há 53 anos, tendo entre seus fundadores, a figura ilustre de Vingt-Un Rosado, é o órgão de representação de classe dos Escritores potiguares. Após a sua reorganização em 2006, realizou 04 Encontros, encaminhou ao Poder Legislativo minuta da Lei do Livro (Lei nº 9.150/08 - Henrique Castriciano -; convocada pelo deputado Robinson Faria para Audiência Pública; colaborou com sugestões que resultou na lei nº 9.169/2009 ( leituras literárias nas escolas públicas);
1.2. Desde o ano passado que a UBE/RN tenta marcar uma audiência com a Secretária Extraordinária de Cultura professora ISAURA ROSADO, com a finalidade de encaminhar sugestões elaboradas durante o IV Encontro Potiguar de Escritores - IV EPE (CARTA DO IV EPE- anexa) não logrando êxito; inclusive, solicitou o apoio da Federação das Entidades Culturais - FINCS, presidida pelo escritor Diógenes da Cunha Lima. Algumas vezes, em seu escritório, foram feitas ligações que têm sempre a mesma resposta: “-Professora Isaura está em reunião”. Tentou no portal do Governo do Estado, por e-mail e na Governadoria, marcar uma audiência com Vossa Excelência não obtendo êxito;
1.3. A UBE/RN tem tomado posições firmes como, por exemplo, quando lançou uma CAMPANHA EM DEFESA DA BIBLIOTECA PÚBLICA CÂMARA CASCUDO, que se encontrava completamente sucateada e que, finalmente, o Governo do Estado, anunciou a sua recuperação, iniciando o pagamento de uma dívida com a sociedade potiguar. Por último, a UBE tomou conhecimento de matéria assinada pela jornalista Eliana Lima, no jornal Tribuna do Norte, do dia 07 de maio de 2012, mostrando os livros em pacotes pelo chão, quando o correto seria transferir o acervo para um galpão, podendo ser o Papódromo ou o Presépio de Natal que estão ociosos. Este fato noticiado faz com que a campanha desenvolvida pela UBE volte novamente às ruas.
1.4. A UBE/RN não tem conotação político partidária.

2. SAÚDE PUBLICA
2.1. No último sábado precisou internar dois filhos no hospital Walfredo Gurgel, numa operação de emergência, e pode constatar o caos instalado na Saúde Pública. Eis a radiografia de uma situação LIMITE:
2.1.1. INFRAESTRUTURA - logo na recepção, os banheiros estavam quebrados (o masculino e o feminino). O masculino funcionava parcialmente. Sem manutenção e higienização adequadas.
2.2.2. RECURSOS MATERIAIS - Pelos corredores macas improvisadas e familiares ajudando os seus entes queridos. Falta tudo. Principalmente lençóis e macas. O carro do SAMU voltou a circular só pela madruga porque não tem onde deixar os pacientes.
2.2.3. RECURSOS HUMANOS - Aquém das necessidades: poucos profissionais de saúde para atender demanda crescente.
A situação no hospital Walfredo Gurgel é o sintoma de que a Saúde Pública não funciona e está a exigir MEDIDAS ENÉRGICAS. Afinal, Vossa Excelência ao ser eleita pelo povo do Rio Grande do Norte, tornou-se Governadora de todos. Este é em um princípio da Democracia.

3. DAS SOLICITAÇÕES
3.1. Cumprimento do artigo 137, parágrafo 2º da Constituição do RN, que preconiza o ensino na rede pública da Disciplina Folclore, Artes Plásticas e Literatura do RN;
3.2. A criação do curso de Graduação em Letras - habilitação em Literatura, no Campus de Natal, e o Curso de Especialização em Literatura cujo eixo central seja DO OFÍCIO DE ESCREVER, voltado para estudantes da rede pública de ensino, cuja materialização se acopla ao cumprimento da lei 9.169/2009 que, no momento, passa por um debate através das instituições que integram a Rede Potiguar de Escolas Leitoras;
3.3. A regulamentação da Lei nº 9.105/98 - Henrique Castriciano, uma iniciativa da UBE/RN, cujo objetivo principal inclui a valorização dos escritores potiguares e suas obras;
3.4. A inclusão da União Brasileira de Escritores - UBE/RN no Conselho Estadual de Cultura;
3.5. Parceria com Governo do Estado, através da Secretaria Extraordinária de Cultura, para realização do V Encontro Potiguar de Escritores - V EPE -, que será realizado entre os dias 29, 30 e 31 de Outubro do corrente ano, na Academia Norte-Rio-Grandense de Letras;
3.6. A criação de um canal permanente com a Secretaria Extraordinária de Cultura, na pessoa da professora Isaura Rosado.
3.7. Acesso fácil ao cidadão que precisar do PROGRAMA DE MEDICAÇÃO ALTO CUSTO sem precisar de se utilizar via judicial.
3.8. Pelo fortalecimento do Sistema Único de saúde - SUS.
3.9. Confirmar audiência solicitada desde o dia 03 de abril com Vossa Excelência para tratar destas questões acima elencadas bem como de outras.

Nestes termos

Pede deferimento
Natal/RN, 21 de Maio de2012

Eduardo Antonio Gosson
Presidente
(84) 9983-6081
E-mail: eagosson@gmail.com

**********************************************************
COMENTÁRIO

Geralda Efigênia 21 de maio de 2012 16:32
aplausos Eduardo, parabéns pela iniciativa. Estou do seu lado. Abçs

sábado, 19 de maio de 2012

HULIMASE GOSSON E OUTROS - AUTORIA DE ANNA MARIA CASCUDO BARRETO.

ANNA MARIA CASCUDO BARRETO

HULIMASE GOSSON E OUTROS
Por Anna Maria Cascudo Barreto (*)

Hulimase, Jamyle... quando repetia esses nomes, separando as sílabas, na minha adolescência, sentia algo musical, tons exóticos no meu universo ocidental. Foi minha tia materna, Maria Leonor Freire, irmã mais velha da doce Dhalia, quem apontou o caminho até as duas artesãs da beleza. Fiquei pasma com as hábeis estilistas, com seus plissés e pregas. Aluna do Colégio da Imaculada Conceição havia necessidade de uma apresentação perfeita; saia azul de pregas e blusa e nervuras impecáveis. Tanto para as fardas diárias quanto para os dias de gala. Tia Yaya, ex-freira, entendia do assunto. Encantaram-me o estilo gracioso, a sutil criatividade e bom gosto. A moda dos anos 50 e 60 - e depois 70, por que não? - exigia talhe fino e saias amplas. A natureza me premiou com tronco esbelto. Podia abusar dos cintos largos, dos plissados denominados “soleils” dos godês. Meus pais não possuíam automóvel, e todas as minhas saídas - normais da idade e da época – para o colégio, missas, cinemas, aniversários, festinhas, visitas, eram feitas a pé; ou no máximo, acompanhando meus pais ou irmão, de ônibus ou táxi. Andando e subindo ladeiras, tinha pernas ágeis, cinturinha fina, seios e quadris firmes. Até as fantasias de Carnaval, copiadas das primas ricas e queridas, Maria Cristina, Aída Helena e Inês Letúzia La Grega, e o traje de borboleta e de Ana do Pastoril foram obras de Hulimase. Ela também sugeria modificações, reforma das toaletes herdadas. Sempre procurei um estilo pessoal, uma marca única. Hulimase entendia e conseguia essa simbiose misteriosa. Os trajes se tornavam parecidos comigo, perdendo aquele toque das doadoras.

Hulimase e Jamyle foram pioneiras em métodos até então desconhecidos dentre as elegantes da província. Tinham máquinas, mas abusavam da essência estilosa . Habilidades que trariam do sangue árabe, vindos dos cedros do Líbano, atualizados com o glamour tropical natalense. Anos se passaram, fiz vestibular, tornei-me acadêmica de Direito. A moda girou, surgiram modelos diferentes. Mas quando verifiquei a velha bata que usaria no fórum da Ulisses Caldas, no meu primeiro júri como Adjunto de Promotor, voltei a procurar Hulimase, reclamando da falta total de charme, mesmo emocionada com a oportunidade que entraria para a história do Estado. Como diria Luís da Câmara Cascudo: “Mulher nunca deixa de ser mulher!”. Lavagens a seco, novas pregas, um laço displicente, a jovem defensora da sociedade se sentiu a altura dos inúmeros fotógrafos, das cidades e dos estados vizinhos, que documentaram a primeira mulher atuando em Natal como Promotora da Justiça, no meio dos professores e conseguindo a vitória sob o olhar emocionado dos pais e colegas. A ocasião mereceu um agrado de Hulimase, ela que era de poucas palavras e muito discreta. Quando fui efetuar o pagamento pelos seus serviços, recebi um pacote que aberto revelou gostosos quibes e charutos árabes. Um bilhete, escrito a lápis, resumia sua opinião: -“parabéns, você vencerá”.

O relacionamento com Jamyle era uma visão de relance. Parecia-me sempre muito ocupada com afazeres domésticos. Mas registro sua permanente educação, seus modos gentis. Tinha uma palavra bonita quando me recebia.

A vida é um círculo de acontecimentos. Depois de formada, fui designada para São Gonçalo do Amarante/RN. Embora próxima da capital, havia o receio de passar pela ponte sobre o Rio Potengi, que emitia ruídos apavorantes: pelo menos aos meus ouvidos. Mas o povo me conquistou. Fui profundamente feliz com a primeira Promotora de São Gonçalo do Amarante. Lá encontrei, como Juiz, José Gosson, irmão de Hulimase. Fomos companheiros de trabalho numa jovem Comarca. Recebemos os primeiros títulos de cidadania e honras especiais. Poti, Iraci e seus filhos me proporcionaram uma vida em família pela primeira vez longe de casa. Chegava à segunda e regressava somente na sexta. Quantas experiências jurídicas e humanas enriqueceram a minha existência!

Finalmente hoje participo já como escritora e acadêmica da União Brasileira de Escritores na sua diretoria. Encontro Eduardo Gosson, poeta e escritor, um batalhador cultural. Vejo-o como a síntese da família, naquilo que eles possuem de mais sólido. Seu sobrenome significa “árvore frondosa” em árabe. Ele é o somatório das virtudes adquiridas em terras brasileiras. Tem a simplicidade dos múltiplos, o brilhantismo dos modestos. Um líder, descobridor e incentivador de talentos. Incapaz de um sentimento menor. Pai amantíssimo. Avô fascinado. Excelente marido. Amigo como poucos.

Surgiu na vida como um sol que não admite sombras nem se deixa tolher pelas tempestades. Vive buscando a luz do paraíso da igualdade. Seu corpo frágil disfarça o gigante de esperanças. Pássaro que voa feliz apesar das correntes de ar contrárias. Acredita, como Esopo (século VI a.C.” ) que “a união faz a força”. Seu comunismo resulta no amor ao próximo. Sem buscar recompensas. Sua meta é erguer pontes quando só existiam paredes.

Natal/RN, 2 de maio de 2012.
Anna Maria Cascudo Barreto,
*Escritora, Acadêmica, membro da UBE, presidente do Instituto Câmara Cascudo.

JOÃO E MARIAZINHA - ARTIGO DE SILVIO CALDAS,

SILVIO CALDAS

JOÃO E MARIAZINHA
Autor: Sílvio Caldas (jsc-2@uol.com.br)



Os nomes são fictícios, mas a história é verdadeira. Ocorreu na semana que passou, em São Paulo.

João era o pai de Mariazinha, a qual contava com apenas nove anos de idade. Filha única, não podia ver o pai que saia correndo para abraçá-lo e beijá-lo.

João é motorista de caminhão. Estava dirigindo o veículo e, chegando perto de sua casa, Mariazinha largou a mão da mãe e saiu correndo para pegar uma carona na carroceria do caminhão. Escorregou, caiu, teve o crânio esmagado e morte imediata. Os pais estão inconsoláveis. Tragédia medonha.

E por que estou repassando essa história tão triste?

Por que nosso mundo está tão cheio de lamentações tolas, tão, vazias, tão fúteis, que é bom pararmos um pouco e refletir na dor que tomará conta de João para o resto da vida. Esta, sim, dor incurável, que só Deus pode dar jeito.

Não bastasse tanto, o delegado das redondezas está pensando se vai abrir ou não inquérito para apurar a "culpabilidade" de João. São os rigores das leis dos homens, que às vezes se pretende acima das leis de Deus.